Polícia prende líder de facção criminosa que atuava em Mossoró

por - 21/09/2018 11:37

Uma Operação integrada da Polícia Civil, em conjunto com a Polícia Militar, conseguiu prender em flagrante José Ivanildo Pinheiro de Lima, vulgo “Boboy”, investigado por ser líder, na região Oeste do Estado, de uma facção criminosa que possui atuação nacional, na noite desta quinta-feira (20). A prisão de José Ivanildo foi resultado da Operação Ronda Integrada, coordenada pela Secretaria de Segurança Pública do Estado (Sesed) e aconteceu quando ele estava no bairro Abolição III, na cidade de Mossoró. Com “Boboy” os policiais apreenderam armas, munições e porções de drogas.

Durante a Operação, os policiais conseguiram prender José Ivanildo em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e receptação. Os policiais conseguiram apreender na residência de José Ivanildo drogas, uma pistola  calibre 40, com carregador;  uma espingarda de calibre 12;  munições roubadas da Polícia Militar do Estado de São Paulo;  um RG falso  e um veículo de marca Honda Civic, o qual está sendo investigado. Também apreenderam com o suspeito, dois carregadores de pistola calibre 40 com diversas munições; munições de calibre 12 e 380, drogas como crack e maconha, balança de precisão e cadernos com anotações do comércio ilegal de drogas e um celular. Ele confessou na Polícia que era proprietário de todo material encontrado.

Os policiais conseguiram encontrar o local onde o foragido da Justiça se encontrava, após receber anônimas. Ele foi detido quando estava saindo da residência. No momento da abordagem policial, ele apresentou uma identidade falsa em nome de outra pessoa, porém as equipes o reconheceram, por ele já ter passagem pela Polícia.

De acordo com as investigações, José Ivanildo Pinheiro já responde na Justiça pelos crimes de tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, e também pelo crime de homicídio. Além disso, ele também é apontado como sendo um dos homens que liderou uma rebelião que aconteceu no presídio de Alcaçuz, em janeiro de 2017.  Contra José Ivanildo haviam dois mandados de prisão em aberto, pela comarca de Nísia Floresta havia uma pena imposta de 22 anos e 3 meses e pela comarca de Mossoró uma pena imposta de 15 anos.

COMENTÁRIOS