Serigrafista que matou rival para vingar morte da sogra pega seis anos de prisão

Alcivan Vilar

O serigrafista Franklin Claudiano Silva Costa, de 22 anos, foi sentenciado a seis anos de prisão por ter matado a tiros, o rival Fábio Ferreira da Silva, o “Fabinho”, crime ocorrido em 2016 no centro de Mossoró. (RELEMBRE) Fabinho era o principal suspeito de ter matado a sogra de Claudiano dele Iracena Félix da Silva em 2015. Ele teria ido matar Claudiano e durante os disparos a sogra dele atravessou no meio para proteger o genro e acabou sendo baleada e morte (RELEMBRE) O representante do Ministério Público, promotor Ítalo Moreira Martins, conhecido por atuação técnicas, fez a exposição da acusação no plenário do Tribunal do Júri e pediu a condenação do réu por homicídio simples argumentando que ninguém pode tirar a vida de outro por vingança.

Já o advogado de defesa, Isaias Garcia de Oliveira, que já atuou por muitos anos como jornalista policial, colocou calor humano nos debates levantando a tese de legítima defesa, ou seja matou para não morrer.

Diante das duas teses levantadas em plenário pela Acusação e defesa do réu o Corpo de Jurados, formado por sete membros da sociedade, decidiu por condenar o réu por homicídio simples acatando a tese do Ministério Público.

O presidente do TJP, juiz Vagnos Kelly Figueiredo de Medeiros, sentenciou com pena de pena de seis anos de prisão por homicídio simples.

Franklin Claudiano já está preso a mais ou menos um ano e com a condenação de hoje possivelmente irá cumprir a pena em regime semi-aberto na Penitenciária Mário negócio