DEVOLTA AO PRESÍDIO: FORAGIDOS SÃO CONDUZIDOS DURANTE A NOITE EM VOO PARA MOSSORÓ

Uma operação conjunta entra a Polícia Rodoviária Federal e a Polícia Federal foi realizada sigilosamente por volta das 22h da noite desta quinta-feira (4), com o objetivo de transferir os fugitivos Deibson Cabral Nascimento, vulgo Tatu, de 33 anos e Rogério da Silva Mendonça conhecido como Martelo ou Querubim, de 35 anos.

Os dois foram levados ao Aeroporto com a escolta das forças de segurança e colocados em uma aeronave não comercial com destino ao aeroporto de Mossoró. Ainda na chegada a aeronave demorou um pouco para aterrissar devido a um nevoeiro que se deslocava na região. Já em solo, os dois foram também escoltados até o Presídio Federal de Segurança Máxima de Mossoró, onde continuarão a disposição da Justiça.

COMO FORAM LOCALIZADOS:

A polícia local do estado do Pará havia recebido informações de uma movimentação que ocorreria com objetivo de resgatar os fugitivos, já dentro daquele estado e conduzi-los ao estado do Acre de onde os dois ocupavam cargos de liderança do Comando Vermelho. No entanto, os três carros que foram usados para o resgate passaram a serem monitorados e durante o deslocamento e já com os dois fugitivos, os Policiais realizaram a interceptação e conseguira deter pelo menos seis pessoas, apreendendo armas e celulares durante a ação.

Como os dois se tratavam de fugitivos federais, eles foram conduzidos à sede da Polícia Federal que repassou a informação ao ministério da justiça, autorizando a transferência do Tatu e do Martelo ao Presídio Federal em Mossoró, no Rio Grande do Norte. Os demais envolvidos e materiais encontrados no momento da ação também foram apresentados ao delegado de plantão para os procedimentos de autuação e a condução a uma unidade prisional local.

SOBRE A FUGA:

A fuga ocorreu no dia 14 de fevereiro de 2024, quando os presidiários que estavam em celas separadas conseguiram quebrar os espaços das lâmpadas das celas e obtiveram acesso a área externa da unidade prisional. Já no pátio da instituição, ferramentas de uma obra teriam sido utilizadas para romper das cercas e a concretização da fuga pela área extensa de mata entre a região entre Mossoró e Baraúna.

Durante cerca de 50 dias, um forte esquema de buscas foi empregado com objetivo de deter a chegada dos fugitivos na divisa do Ceará, mas acredita-se que bem antes os dois já haviam rompido esse cerco e percorrido uma distância considerável, até conseguirem chegar na cidade de Marabá-PA, onde foram capturados.

TEXTO: @190RN