Polícia Civil prende suspeitos por roubo e crime ambiental em Macaíba

Policiais civis da Delegacia Municipal (DM) de Macaíba deram cumprimento, nesta segunda-feira (10), a mandados de prisão em desfavor de dois suspeitos e realizaram uma prisão em flagrante. O objetivo destas diligências foi combater a ação de grupos que têm realizado diversos crimes de roubos sequenciados no município. Até o momento, mais de dez suspeitos foram presos nestas ações operacionais, além de recuperados diversos objetos de vítimas.

Foram presos, na região conhecida como “Mangabeira”, em Macaíba: Rafael Tavares de Souza, mais conhecido como “Piriguete”, 21 anos, em decorrência de mandado de prisão preventiva pela suspeita de diversos crimes; Paula Frassineth Araújo da Silva, 34 anos, detida em sua residência, em decorrência de mandado de prisão preventiva pela suspeita da prática do crime de roubo; e Francisco Ivanildo Viana, mais conhecido como “Gago”, 35 anos, preso em flagrante, em sua residência, por furto de energia elétrica, crime ambiental e posse de drogas.

Segundo as investigações, Francisco Viana é um dos mais atuantes do grupo, no local da prisão, foi constatada uma ligação clandestina de energia, além de apreendidos animais silvestres e drogas. Chamou a atenção da equipe o fato de que todas as luzes da casa permaneciam ligadas, mesmo sendo dia e com forte luz natural, inclusive na área externa, além de um aparelho de ar-condicionado instalado em um dos quartos e que também permanecia ligado ininterruptamente.

Rafael Tavares, que estava foragido da Justiça, é investigado por diversos roubos violentos ocorridos na região, praticados com uma mulher e outro homem. Ele é apontado como um dos chefes do grupo e, recentemente, confrontou à Polícia Militar (PM), após uma perseguição em que o carro roubado em que estavam capotou, tendo ele conseguido fugir mesmo com um ferimento, causado por disparo de arma de fogo, que atingiu a perna.

Alguns objetos foram recuperados com os suspeitos, cabendo às vítimas procurarem à DM de Macaíba, visando à restituição dos seus bens. A Instituição esclarece que é de extrema importância que as vítimas registrem as ocorrências, detalhando ao máximo os objetos subtraídos, para que, no futuro, havendo a recuperação dos bens, eles possam ser devolvidos aos seus proprietários; atualmente, muitos aparelhos celulares estão sendo encaminhados para a Justiça por não constarem a informação dos seus devidos proprietários.

Os três suspeitos foram conduzidos até a delegacia e encaminhados ao sistema prisional, onde permanecerão à disposição da Justiça. A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações, de forma anônima, por meio do Disque Denúncia 181.